De volta às raízes – Uma experiência Luso-brasileira

Ao receber a notícia de que iria para Portugal, não coube em mim de felicidade. Conhecer e vivenciar a nação situada mais a ocidente do continente europeu, que há tanto tempo nos descobriu, eram desejos antigos e até sonhos. Corre-corre para arrumar as malas, tirar visto, ver passagem e seguro saúde, pois a aventura iria começar…
Ao tocar o solo português, senti a energia que aquele lugar tinha e os sinais de que aquele ano seria maravilhoso. Nas três semanas que seguiram, minha casa foi um hostel.
Junto com meus colegas, saía todos os dias em busca de um lugar para morar.

No sobe-e-desce das ruas de Lisboa o sol não dava trégua e a busca foi árdua. O início das aulas ainda foi marcado pela vida no hostel, mas logo encontramos um apartamento, localizado no coração de Lisboa, o qual foi nomeado de “O ap mais giro de Lisboa”. Foi local de longos dias de estudo acompanhado de muita diversão. Éramos três para dividir sala, cozinha e banheiro o que foi uma experiência incrível em relação a vida em grupo, lidar com a independência, maturidade e também com todas as exigências que uma casa demanda. A liberdade é maravilhosa!

A Faculdade era incrível, com ótimos professores e trabalhos intensos. Conseguir equivaler as matérias do Brasil exigiu esforço e dedicação, mas que resultou em um ano muito enriquecedor e de grandes aprendizados em todos os sentidos. Ter uma experiência onde eu pudesse desfrutar ao máximo as tradições portuguesas fazia parte dos meus planos.

Refeições eram compostas por deliciosos bacalhaus. Tardes eram regadas a vinho. Em festas e eventos universitários, o traje era social e para arrematar, uma capa preta. As festas tradicionais eram comemoradas por todos com alegria, vigor e sardinha para todo lado! As amizades que esta experiência me proporcionou ficarão guardadas para sempre. É muito bom conhecer pessoas de diferentes nacionalidades, cada um com sua cultura única, uma mais interessante que a outra. Foi um ano de trocas e experiências que trouxeram muita riqueza em minha vida. O ano foi acompanhados de viagens incríveis, planejadas na beira do Tejo banhado de ouro pelo pôr do sol, um ótimo local para inspiração e apreciação.

Por Verônica C. Vidigal Coachman

Verônica, 24 anos, realizou o programa Ciência sem Fronteiras na Universidade Técnica de Lisboa.


Este artigo foi publicado em Ciências Sem Fronteiras. Bookmark the permalink.

One Response to De volta às raízes – Uma experiência Luso-brasileira

  1. Cintia Bragato escreveu:

    Belo relato Verônica. Fico feliz que tenha aproveitado todas as experiências que a mobilidade estudantil proporciona!

    Abraços

    Equipe de Parcerias e Intercâmbios

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>